Guaritas e portarias de condomínios

Autor: / Data: 19 de novembro de 2013 / Categoria: Notícias / Nenhum comentário
imagem294

Fonte: Clube do Zelador

O que deve conter uma guarita para que proporcione segurança ao condomínio e conforto ao porteiro

Trabalhar por horas em uma portaria não é algo fácil. É preciso estar atento às movimentações e seguir uma série de cuidados ao liberar a entrada de pessoas no condomínio.

O porteiro noturno tem ainda um outro problema a ser enfrentado, o sono que bate sempre na hora errada.

Além de todos esses cuidados, normalmente a guarita não é o local mais confortável para se ficar confinado.

Confira dicas de como fazer desse ambiente um local de trabalho confortável que não tire a qualidade de vida e profissional do porteiro:

GUARITA

Para preservar a segurança do condomínio e do funcionário, é preciso que a guarita esteja instalada em um local com visibilidade total das principais entradas. A iluminação deve ser boa, de forma que o porteiro consiga identificar quem está na entrada do prédio.

  • O tamanho da guarita deve levar em consideração a quantidade de pessoas que lá trabalham, assim como a sua utilização (comercial, industrial ou residencial).
  • No geral, elas devem possibilitar a movimentação dos profissionais com tranquilidade, assim como acondicionar corretamente os equipamentos ali instalados. O monitor, por exemplo, deverá ter uma distância de aproximadamente 80 a 100 cm do rosto do profissional.
  • Este ambiente deve possuir, no mínimo, um sistema de comunicação eficiente (para dentro e para fora do condomínio), um assento ergonômico, uma bancada para apoiar equipamentos e livros de controle, iluminação com dimmer e ventilação adequada (se necessário ar-condicionado ou ventilador).
  • O portão da frente deve ser bem iluminado, pois ajuda no trabalho de reconhecimento.
  • Os vidros devem possuir característica de não possibilitar a visão de “fora para dentro”. Para isso, além da película, o condomínio pode optar por vidros escurecidos de fábrica, aumentar a distância entre funcionário e visitante e vidros em ângulo.
  • Guaritas blindadas também aumentam a segurança, mas só são válidas se houver uma boa infraestrutura no condomínio, como portões, muros, entradas bem vigiadas, que funcionariam como complemento. A blindagem deve ser feita na alvenaria e nos vidros.

CONFORTO

É preciso pensar na segurança e no conforto. Ficar trancado num espaço pequeno não é nada fácil. Veja algumas dicas para melhorar o ambiente de trabalho:

  • A guarita precisa ser arejada. Locais abafados provocam mais sonolência.
  • Se o local for pequeno, o uso de ventiladores ou ar-condicionado é essencial, sobretudo durante o verão. Estes equipamentos são fundamentais para um bom andamento do trabalho do profissional. Geralmente os condomínios não disponibilizam estes equipamentos.
  • Um conceito errado ouvido pelos especialistas com frequência é: se eu não tenho ar-condicionado em meu apartamento o porteiro pode ter? O porteiro – ou qualquer profissional que trabalhe na guarita – está exercendo a sua atividade profissional e precisa ter conforto para manter a sua eficiência.
  • Uma boa iluminação interna e externa é essencial. A externa ajuda o porteiro a identificar quem está passando na região e a interna ajuda a evitar sonolência.
  • Outra medida é a compra de uma cadeira adequada. O assento deve possuir regulagem de altura – e a altura máxima/mínima deve estar condizente com a altura da bancada – além de apoio para os braços. Para as bancadas mais altas, recomenda-se também um assento com apoio para os pés. Deve ser feita também uma verificação constante deste equipamento – pois é o assento é um equipamento. Isso evita eventuais ausências dos profissionais por dores musculares ou nas costas.
  • Bebedouro é fundamental para que o funcionário se mantenha hidratado, sobretudo em dias quentes.

SEM COCHILOS

Para evitar que os porteiros durmam durante o expediente – principalmente os que trabalham no período noturno – existem alguns aparelhos no mercado que podem ser utilizados. Um deles dispara um alarme a cada 15 minutos ou no intervalo que o síndico programar. Para o alarme não tocar, o porteiro deve apertar o botão nos intervalos determinados. O aparelho entende que, sem pressionar o botão, o porteiro estará dormindo e dispara o som.

  • Rede de Comunicação Integrada (RCI) figura como uma das formas mais eficientes de combate aos cochilos. Ela promove a integração entre outras portarias, tem baixo custo e grande eficiência, mas deve ser implantada com muito critério. Se não for feita adequadamente pode virar um “rádio-fofoca”.
  • Outra estratégia é colocar à disposição dos porteiros água e café, este último é um bom aliado para afastar o sono.
  • Estar ciente que a atividade de porteiro baseia-se primeiro para se proteger e depois para proteger outras vidas.

BANHEIRO

Embora não exista nenhuma norma obrigando a instalação de um banheiro dentro da guarita, é recomendável que exista um. Especialmente quando o condomínio trabalha com um número reduzido de profissionais. Além de reduzir o tempo de espera para entrar ou sair do condomínio, diminui a “exposição” deste profissional. Um cuidado especial deve ser tomado em relação à janela do banheiro. Ela deve ser pequena para evitar possíveis invasões. Se houver blindagem, melhor ainda.

TELEVISÃO

Muitos condomínios disponibilizam televisão na portaria, alguns inclusive com serviço de TV por assinatura, mas isso não é visto como uma boa ideia pelos especialistas, já que pode distrair os profissionais.

  • Durante o dia, com diversos canais a disposição, o porteiro pode relaxar com os programas e se distrair, o que prejudica o trabalho.
  • Para quem faz a jornada noturna, além da distração, a TV provoca sonolência e, provavelmente, o porteiro irá dormir.
  • Alguns especialistas defendem que os porteiros dorminhocos sejam punidos com advertência, pois a falta de atenção compromete a segurança do condomínio.

 

Conheça o Autor

admin